domingo, 16 de maio de 2010

A IMPORTÂNCIA DA MUSICALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL


RESUMO

Este trabalho apresentará como a musicalização poderá contribuir para o desenvolvimento infantil nos aspectos cognitivo, lingüístico, psicomotor e sócio afetivo, tendo como objetivo a formação dos indivíduos enquanto seres sociais.

Palavras-chave: Musicalização Infantil, Educação Infantil, Artigo Cientifico.

Introdução

O trabalho abordará o papel da musicalização na educação infantil apresentando-a como facilitadora no processo da aprendizagem, favorecendo sua integração e socialização.
De acordo com Wallon[1], o meio é um complemento indispensável ao ser vivo. Ele deverá corresponder as suas necessidades e as suas aptidões sensória motoras e depois psicomotoras. Dessa forma, ouvir música, cantar uma canção, brincar de roda, realizar brinquedos rítmicos, jogos, entre outras, são atividades que despertam, estimulam e desenvolvem o gosto pela atividade musical, além de atenderem as necessidades de expressão e auto-estima, permeando os processos afetivo, estético e cognitivo.
Configura-se então um cenário onde a compreensão, cooperação e participação são requisitos fundamentais no processo de construção do conhecimento, uma vez que partimos do princípio de que cada indivíduo é singular: as informações disponíveis a cada um são distintas, as estratégias de pensamento e ação, bem como os recursos utilizados, são diferentes, ou seja, a diversidade de experiências é um fator central e indispensável do grupo. Sem ela não seria possível a troca. A esse respeito, escreveu a pedagoga Madalena Freire[2] que o papel do educador, enquanto participante, é o de promover esta interação, onde se espera que as ações exijam o esforço individual de cada membro.

DESENVOLVIMENTO

Objetivo geral:
Demonstrar o quanto a musicalização poderá colaborar no desenvolvimento infantil nos aspectos físico, mental e afetivo, onde a sensibilidade, concentração, coordenação motora, socialização, acuidade auditiva, raciocínio e disciplina facilitarão seu processo de alfabetização.
Objetivo específico:
  • Sensibilizar o aluno e torná-lo receptivo ao fenômeno sonoro.
  • Pluralizar a vivência musical dos alunos através da apreciação de diferentes períodos, estilos e tendências.
  • Estimular o desenvolvimento das sensibilidades estéticas e artísticas.
  • Estimular o potencial criativo mediante a apresentação de elementos sonoros.
  • Promover um ambiente em que o aluno possa interagir, perceber limites, cooperar e se integrar enquanto indivíduo participante de um grupo.
  • Facilitar o processo de alfabetização.

Leda Osório Mársico apóia-se em teorias psicológicas do desenvolvimento musical para embasar a importância de uma educação musical precoce para o desenvolvimento global da criança. Para Mársico, essa educação exerce influência e age sobre toda estrutura da personalidade e das capacidades gerais da criança, bem como atua sobre o seu comportamento e sensibilidade, estimulando a criatividade e contribuindo para total integração da criança. (A CRIANÇA NO MUNDO DA MÚSICA, 2003).
 Para Gainza, a música é um elemento de fundamental importância, pois movimenta e mobiliza, supõe a existência de vínculos positivos entre o indivíduo e os fenômenos musicais, contribuindo para a transformação e o desenvolvimento, abrindo canais de expressão e comunicação, despertando um interesse natural pela música. (GAINZA 1988).
Para Josette Feres, a musicalização infantil tem como objetivo principal desenvolver na criança o prazer de ouvir e fazer música. Mostra a importância de um resgate cultural utilizando-se de um repertório folclórico, proporcionando meios para que a criança tenha liberdade para criar e ao mesmo tempo tenha limites. (APOSTILA DA AUTORA, 2000).

 CONCLUSÃO

O desenvolvimento infantil nos aspectos cognitivo, lingüístico, psicomotor e sócio afetivo através da musicalização.
A musicalização é o processo de construção do conhecimento musical, onde o principal objetivo é despertar e desenvolver o gosto pela música, tornando o indivíduo receptivo ao fenômeno sonoro, estimulando e contribuindo com a formação global do ser humano. A musicalização é feita através de atividades lúdicas visando o desenvolvimento e aperfeiçoamento da percepção auditiva, imaginação, coordenação motora, memorização, socialização e expressividade. Jogos e brincadeiras musicais funcionam como elemento motivador e de estímulo para o desenvolvimento da expressão musical onde a imitação, a percepção e a criação são os principais elementos deste processo[3].
            Quais os benefícios trazidos pela musicalização nos desenvolvimentos cognitivo, lingüístico, psicomotor e sócio afetivo?
As atividades de musicalização poderão interferir no processo de formação do indivíduo enquanto seres sociais. Agindo como matéria interdisciplinar e como um recurso facilitador no processo ensino-aprendizagem, favorecerá o desenvolvimento cognitivo, lingüístico psicomotor e sócio afetivo da criança.
 - KAMII, Constance. Apêndice. A autonomia como finalidade da educação: implicações da teoria de Piaget. In: A criança e o número. Ed. Papirus. Rio de Janeiro, 1997.
Piaget afirma que a nossa ação física ou mental depende de dois sistemas cognitivos. Um deles é o sistema do compreender, e o outro é o sistema do fazer. Através de atividades com movimentos corporais, gestos sonoros, bater palmas, pés, correr, pular e movimentar-se acompanhando a música, a criança adquire as habilidades fundamentais para a execução da leitura rítmica, e posteriormente um instrumento musical. Neste caso, a criança adquire o conhecimento ao construí-lo a partir do seu interior, ao invés de internalizá-lo diretamente de seu meio ambiente.
- SWANWICK, Keith. Ensinando Música Musicalmente. Tradução de Alda de Oliveira e Cristina Tourinho. São Paulo: Moderna, 2003.
Baseando-se nas idéias de Piaget, Swanwick criou a Teoria Espiral do Desenvolvimento Musical, onde o conhecimento se dá por etapas sucessivas, obedecendo às etapas psicológicas de cada indivíduo. Através de pesquisas realizadas com crianças de três aos quatorze anos, Swanwick propôs um processo de aprendizagem baseado em um modelo que ele batizou de 'C.L.A.S.P. '. O modelo consiste em trabalhar os conteúdos de maneira vinculada, favorecendo o desenvolvimento cognitivo de forma integral e não fragmentada. Sua intenção é que as fases não estejam dissociadas, mas sim, mantenham uma continuidade buscando despertar a criatividade e a improvisação com livre experimentação de materiais sonoros.
- BRITO, Teca Alencar de. Música na Educação Infantil: Propostas para formação integral da criança. São Paulo: Peirópolis, 2003.
Teca descreve em seu trabalho sua experiência pedagógico-musical, onde a música é entendida como um processo contínuo de construção do conhecimento, que envolve perceber, sentir, experimentar, imitar, criar e refletir. Sua proposta incentiva uma educação musical para todos e destaca a sua função na educação com objetivos socializadores e didáticos.   
            O procedimento metodológico desse projeto é a pesquisa bibliográfica visando investigar diferentes metodologias musicais que venham contribuir para o desenvolvimento infantil nos aspectos físico, mental e emocional.


REFERêNCIAS

BRÉSCIA, Vera Lúcia Pessagno. Educação Musical: bases psicológicas e ação preventiva. São Paulo: Átomo, 2003.           

BRITO, Teca Alencar de. Música na Educação Infantil: Propostas para formação integral da criança. São Paulo: Peirópolis, 2003.

FERES, Josette. Iniciação musical. Apostila da autora. Jundiaí, 2000.

FREIRE, Madalena. A paixão de conhecer o mundo. Ed. Paz e Terra. Rio de Janeiro, 1983.

GAINZA, Violeta Hemsy de. Estudos de Psicopedagogia musical. São Paulo: Summus, 1988.

KAMII, Constance. Apêndice. A autonomia como finalidade da educação: implicações da teoria de Piaget. In: A criança e o número. Ed. Papirus. Rio de Janeiro, 1997.

MÁRSICO, Leda Osório. A criança no mundo da música. Porto Alegre: Rígel, 2003.

SWANWICK, Keith. Ensinando Música Musicalmente. Tradução de Alda de Oliveira e Cristina Tourinho. São Paulo: Moderna, 2003.

WALLON, Henry. As etapas da sociabilidade na criança. In: Psicologia e educação da infância. Trad. Ana Rabaça. Lisboa. Estampa, 1975. 


[1] WALLON, Henry. As etapas da sociabilidade na criança. In: Psicologia e educação da infância. Trad. Ana Rabaça. Lisboa. Estampa, 1975.

[2]FREIRE, Madalena. A paixão de conhecer o mundo. Ed. Paz e Terra. Rio de Janeiro, 1983.

[3] Sobre este conceito, maiores explicações nos livros BRÉSCIA, Vera Lúcia Pessagno. Educação Musical: bases psicológicas e ação preventiva. São Paulo: Átomo, 2003.
GAINZA, Violeta Hemsy de. Estudos de Psicopedagogia musical. São Paulo: Summus, 1988.

Nenhum comentário:

Postar um comentário